Arquivo | julho, 2012

É seu sonho? Então vai!

23 jul

Visitando a livraria SuperNews da Rodoviária! As vendedoras super queridas me trataram no maior carinho! Beijo, meninas!!!

Outro dia, eu coloquei um texto na legenda de uma foto e quero dividir com vocês aqui no Blog!

Quer ser feliz na vida? Dedique seu tempo com quem você ama e te ama. Não gaste seu tempo pensando em quem já foi, em quem não fez, em quem não era. O que foi embora não era para ser e perde toda a importância que um dia teve. Simples assim. Viva seu presente de maneira intensa, sorrindo, comemorando conquistas, aproveitando cada minuto, se dedicando a realizar ainda ma…is sonhos. A nossa missão é abrir portas para o bem, acreditar e criar possibilidades para o que alguns dizem ser impossível. Eu vivo hoje o que muita gente não acreditava, o que me aconselharam a desistir. Mas na minha casa, meus pais diziam: “É seu sonho? Então vai, minha filha!” E eu fui, chorei, reclamei, bati pé e tentei mesmo nos piores dias. Passei muitas madrugadas escrevendo para niguém. Aos poucos, comecei a sorrir, receber retorno da minha dedicação, reconhecimento do meu trabalho e apoio para as minhas ideias. Demorou 20 anos para acontecer. Espero de todo o coração que seja mais rápido para você, mas se não for, não desista e como eu digo: Seja forte. Acredite em você, no seu sucesso e na força do seu pensamento! O que você sonha pode se materializar com empenho e batalha! Sejam sempre felizes!

Breve tenho novidade para vocês!!!

Fiquem lindosss!!!

Com amor. Tammy

Anúncios

17 de julho de 2012, terça. Sonhem! Flip em Paraty foi sonho! :)

18 jul

Sendo fotografada para o Último Segundo, do Portal IG na Flip 2012, Paraty! Matéria do Valmir Moratelli: http://ultimosegundo.ig.com.br/flip/2012-07-07/escritora-cibernetica-arrasta-centenas-de-adolescentes-para-a-flipzona.html

Eu queria ter vindo antes aqui para contar da minha participaçã na Flip, em Paraty! Foi muito emocionante. A cidade estava linda, respirando literatura. Não me canso de repetir como a cultura faz nossa vida melhor e mais especial. Participar da Flip é um desses sonhos que a gente guarda no cantinho do coração e sempre que pode emantar pensamentos para que aconteça. Foi o tempo que perdi pensando o que não me levaria a lugar nenhum. Hoje meu pensamento está seletivo. Vai me fazer bem? Me levar por um caminho melhor? Aí eu penso, gasto meu tempo, me ocupo com aquilo. É bobagem, só vai me fazer mal, não acrescenta, nem me abalo. Isso acaba tornando sua vida mais produtiva, porque o foco é você, as pessoas que você ama, o seu trabalho, ideias, sonhos…

Voltando para Paraty! A Editora Novo Conceito teve um momento de muita comemoração na Flipzona. Com mediação de Odir Cunha, eu, Chico Anes (autor de “O Sonho de Eva” e Maria Fernanda Guerreiro (autora de “A Filha da Minha Mãe e Eu”) participamos de um ótimo debate sobre “Prós e contras do livro digital na visão do jovem leitor” que rendeu ótimas reflexões e a unanime consideração que o objeto livro está longe de perder seu encanto.

Depois do evento, o grupo da editora foi caminhar pela cidade e comemorar a recepção dos leitores, as perguntas super antenadas e a oportunidade de  participar de um evento de reconhecimento internacional.

A imprensa foi querida e cobriu nosso evento. Jornais, telejornais… Dei uma entrevista bem bacana para a TVE e o Valmir Moratelli falou da minha participação na Flipzona.

Caminhei por Paratu, vi meu livro sendo vendido na Livraria da Villa, oficial da Feira.

O que aprendi em Paraty? O que você deseja se realiza melhor do que você sonhou. Muitas vezes nem o próprio sonho é capaz de descrever… Sonhem, sonhem muito!

 Obrigada, Bruno Borges, Odir Cunha, Chico Anes, Maria Fernanda Guerreiro, todos da Editora Novo Conceito que tanto se dedicam, aos leitores queridos demais e à organização da Flip pelo suporte e atenção!

Com amor. Tammy

14 de julho de 2012, sábado. O milagre óbvio!

14 jul

O Augusto tentando animar a pequenina miau!

O resgate da gatinha de rua!

Ontem cheguei na casa dos meus pais e meu pai estava aflito, porque uma gatinha estava morta na porta da casa dele. Imediatamente fui vê-la. Ele explicou: foi atropelada de manhã, o cara que atropelou não socorreu.

Cheguei perto e ela estava com as patinhas como se estivesse dormindo. Filhote! Linda! Coração partido, tristeza imediata. Cheguei mais perto e percebi que ela não estava morta, ainda respirava. Iago, morador da rua do meu pai, foi tentar que uma veterinária fosse vê-la. Não conseguiu. Alguns moradores diziam: vai morrer tadinha. Eu explicava: está respirando! Fiquei fazendo carinho nela e pensando no que fazer. Um rapaz, Augusto, que fazia um serviço na casa do meu pai se colocou à disposição a missão de fazer algo pela pequenina. Comentou que tinha ajudado um gatinho certa vez. Colocou um pouquinho de água na boquinha dela para que reagisse. Não é que ela se animou um pouquinho? O Augusto que não é veterinário tinha habilidade e falou: Já vi gatinho assim sobreviver.

Peguei uma bolsa de papel e a colocamos em cima. O chão da rua estava frio. Confesso que não estava me conformando da gatinha morrer. As pessoas continuavam passando, eu sentada na calçada com meu pai. De repente vejo um carro diminuir, o motorista apontando para a bichinha e dizendo: “É um gato”. Sei lá o porquê eu disse afirmando: Você é veterinário! Ele disse sim e explicou que estava indo visitar um cachorro no condomínio. Parou o carro e examinou a gatinha imediatamente. Disse que ela poderia ter sofrido uma hemorragia interna. De cara, percebeu que ela tinha ficado cega de um dos olhos. Pediu que eu colocasse a gatinha em uma caixa, ela estava muito gelada e avisou que examinaria o cachorro e pegaria a gatinha para levá-la até a Vet Angels, no Recreio dos Bandeirantes. Honestamente, a chegada do veterinário Luiz Fernando Sanches é algo bem próximo de um milagre óbvio. Aparecer um veterinário naquela situação só sendo milagre! Entreguei a gatinha para ele com a certeza que o melhor seria feito.

Umas horas depois, a médica veterinária Nathaly Ituassú me ligou avisando: A gatinha estava no soro, não está com hemorragia interna e sim com probleminha no pulmão. Fora os machucados no rosto que a deixaram sangrando.

Não sei dizer o que sinto, pensando que alguém atropela um animal, avisa na portaria do condomínio e vai embora. Não quero julgar, mas acho que não devemos tratar isso como normal, falando: É só um gato! Temos que nos indignar com atitudes frias sim. Do mesmo jeito que é muito bacana um veterinário não pensar só em dinheiro e ajudar um animal de rua por puro amor ao bicho.

Escrevo isso, pedindo a torcida de vocês para a cura da mocinha guerreira. Deixo aqui meu enorme obrigada para o Luiz e a Nathaly da Vet Angel e todas as pessoas que se emocionaram e não se deixaram endurecer, achando normal um gato agonizar no meio da rua. “Faz parte da vida” só deveria incluir as coisas boas. Cabe a nós agirmos para que coisas boas aconteçam.

Não posso terminar o post de hoje, sem contar para vocês que a Clínica Vet Angels tem uma ONG “Focinhos de Luz” encontrando lar para animais abandonados, como me contou por telefone a Nathaly. Quem morar na Barra da Tijuca e Recreio , vale procurar levar seu bichinho para ser tratado por eles que merecem ainda mais reconhecimento. Endereço: Av. das Américas, 16401 loja I.

Vou colocar aqui breve notícias da lindinha. Conto com a torcida de vocês!

Infelizmente, no domingo, dia 15, a gatinha faleceu. Mais uma vez, obrigada para Luiz Fernando, Nathaly e todos que torceram. O céu ganhou mais um anjinho.

Com amor. Tammy